Meio de informação e divulgação, aberto à iniciativa e participação da comunidade, procurando difundir a actividade local entre 22 de Junho de 2007 a 1 de Outubro de 2013. Obrigado a todos os 75.603 leitores.

Igreja Românica S. Gens de Boelhe (M.N.)
15
Nov 10

S. Martinho na comunidade educativa da freguesia de Boelhe 

S. Martinho na comunidade educativa da freguesia de Boelhe

Magusto

 

Durante a semana que antecedeu o S. Martinho, a Comunidade Educativa de Boelhe desenvolveu diversas actividades e trabalhos pedagógicos tendo como base a castanha e a Lenda do S. Martinho. O Magusto e a história da “Maria Castanha” não faltaram.

Apresentada em várias versões, foi mais uma vez o mote para todos manifestarem interesse em realizar uma “Maria Castanha” com material reciclável. Todo começou quando à sobremesa foi servido um “Pudim Flan” - “aqui está o corpo ideal para a nossa castanha”. O processo foi prosseguindo e resultou numa “castanha pudim” marionete para uns e para outros simplesmente “Maria Castanha”.

 

S. Martinho na comunidade educativa da freguesia de Boelhe 

S. Martinho na comunidade educativa da freguesia de Boelhe 

 

ver + “Castanha Pudim”

ver + “Ouriço Artur e o Magusto”

 

Convívio

 

Um magusto é uma festa popular, cujas formas de celebração divergem um pouco consoante as tradições regionais. Grupos de amigos e famílias juntam-se à volta de uma fogueira onde se assam castanhas para comer e os adultos provam a jeropiga, a água-pé ou o vinho novo, fazem-se brincadeiras para os mais novos, as pessoas enfarruscam-se com as cinzas e cantam-se cantigas. Tradicionalmente, os magustos realizam-se em datas festivas ou próximas ao dia de São Simão, dia de Todos-os-Santos ou dia São Martinho, traduzidos em inúmeras celebrações que ocorrem, seguramente, por todas as localidades de Portugal, Galiza (onde se chama magosto, em galego) e nas Astúrias. A nossa terra não é excepção.

A celebração do magusto está associada a uma lenda, a qual dizia que um soldado romano, mais tarde conhecido por Martinho de Tours, ao passar a cavalo por um mendigo quase nu, como não tinha nada para lhe dar, cortou a sua capa ao meio com a sua espada; estava um dia chuvoso e diz-se que, neste preciso momento, parou de chover, derivando daí a expressão: "Verão de São Martinho".

 

publicado por a nossa terra às 18:15

pesquisar neste blog
 
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
18
20

26

28
29
30


links
Força Portugal!
badge
blogs SAPO