Meio de informação e divulgação, aberto à iniciativa e participação da comunidade, procurando difundir a actividade local entre 22 de Junho de 2007 a 1 de Outubro de 2013. Obrigado a todos os 75.603 leitores.

Igreja Românica S. Gens de Boelhe (M.N.)
31
Mar 10

                                 SEMANA SANTA 2010

PARÓQUIA DE BOELHE

  

Celebrações Religiosas                                                                  27 de Março a 4 de Abril de 2010


 

VEM AÍ A PÁSCOA DO SENHOR
 
 
Domingo de Páscoa
 
MISSA SOLENE E RECOLHA DAS CRUZES DO DOMINGO DE PÁSCOA
20:00 HORAS, IGREJA MATRIZ DE BOELHE
 
VISITA PASCAL
É um costume muito enraizado no norte de Portugal, este de, no Domingo de Páscoa, um grupo de paroquianos (“Compasso”), com trajes festivos e partindo da respectiva igreja paroquial, se dirigir com a Cruz enfeitada de flores aos lares cristãos a anunciar a Ressurreição de Cristo e a abençoar as suas casas. Soam campainhas em sinal de júbilo, fazem-se tapetes de flores pelas ruas e caminhos, sobretudo à entrada das habitações, estrelejam foguetes no ar. Entrando em cada casa, estabelece-se um pequeno diálogo celebrativo. Dá-se depois a Cruz a beijar a todos os presentes.
 
ORAÇÃO E ENVIO SOLENE DA MANHÃ DE DOMINGO DE PÁSCOA
06:00 HORAS, IGREJA MATRIZ DE BOELHE
 
Todo o Domingo é um dia pascal, porque simboliza e evoca, no ritmo cristão das semanas, o primeiro dia do mundo novo inaugurado com a Ressurreição de Cristo. O Domingo de Páscoa é, nesse sentido, o paradigma de todos os domingos. Por isso proclama a Liturgia: - “Este é o dia que o Senhor fez! Exultemos e cantemos de alegria!” Por isso também, nele, a Igreja celebra com especial solenidade a Eucaristia, memorial que recorda aquele mistério.
 
 
Sábado Santo
 
VIGÍLIA PASCAL
21:00 HORAS, IGREJA ROMÂNICA DE S. SALVADOR DE GÂNDARA (CABEÇA SANTA)
 
Para a Vigília Pascal convergem todas as celebrações da Semana Santa e mesmo de todo o Ano Litúrgico. Lembrando a grande noite de vigília do povo hebreu no Egipto, aguardando a hora da libertação (Ex 12), nela celebram os cristãos a sua própria redenção pelo mistério da Ressurreição de Cristo. Por ela se realiza a grande Páscoa ou Passagem da morte para a vida ou do estado de perdição para o estado de salvação. É a vitória final de Deus, em Cristo, sobre o pecado, o mal e a própria morte. No plano espiritual, os cristãos apropriam-se da graça desta passagem pelo Baptismo. Por isso, a liturgia baptismal tem aqui um lugar de destaque.
A Vigília Pascal – chamada por Santo Agostinho “a mãe de todas as Vigílias” – é uma soleníssima celebração, muito rica de simbolismo global e de símbolos particulares: as trevas, a luz, a água, o círio pascal, a cor alegre dos paramentos, a explosão de som e luz.
 
Integra quatro partes e conclui com a Procissão da Ressurreição.

1ª PARTE
Liturgia da Luz. Com Cristo ressuscitado, a Luz brilhou nas trevas. O círio pascal, que O simboliza, é benzido, conduzido em procissão e colocado diante da assembleia. Os participantes são convidados a terem nas mãos velas acesas, imitando aqueles servos de que fala o Evangelho (Lc 12, 35-37), os quais esperam, vigilantes, o seu Senhor que os fará sentar à sua mesa. Esta parte termina com o canto do Precónio (Pregão), anunciando solenemente a vitória de Cristo.

2ª PARTE
Liturgia da Palavra. Narram-se os gestos maravilhosos de Deus na história da salvação, desde a Criação do mundo até ao grande gesto da «Nova Criação» pela ressurreição de Cristo, início e primícias de um mundo novo. As leituras são intercaladas por aclamações, a última das quais é o canto do Aleluia pascal. Ao cântico de Glória, a Catedral escurecida torna-se, de repente, uma explosão de luz.

3ª PARTE
Liturgia Baptismal. Invocam-se os santos, com o canto da Ladainha. Benze-se a água do Baptismo, que é levada em procissão. Asperge-se o povo. Renovam-se as promessas do Baptismo. Se há baptizandos, é-lhes ministrado este Sacramento.

4ª PARTE
Liturgia Eucarística. Celebração festiva da primeira Missa da Páscoa.

No final da Missa, o Santíssimo Sacramento, que estivera encerrado, é colocado na custódia e trazido para o altar-mor. Organiza-se a Procissão da Ressurreição, própria do Rito, pelo interior central da Igreja. De novo no altar-mor, Cristo vivo na Hóstia branca abençoa todos os fiéis, que dele se despedem ouvindo e cantando o Regina Coeli, laetare (Rainha dos Céus, alegrai-vos), em modo de parabéns àquela que de Senhora das Dores se transformou em Senhora da Alegria.
 
No final será efectuado um convívio com a Comunidade paroquial.
 
 
Sexta-feira Santa
 
CELEBRAÇÃO DA PAIXÃO E MORTE DO SENHOR
VIA-SACRA EM SANTA CRUZ
18:00 HORAS, LARGO DO CALVÁRIO
 
À mesma hora em que Cristo expirou, os cristãos celebram o mistério da sua Morte redentora. Não há Missa, como seu memorial, mas comemoração directa, integrando a sequência dos actos seguintes:
 
1ª PARTE
Liturgia da Palavra: leituras alusivas ao sacrifício de Cristo, intercaladas com cântico de salmos, e narração da Paixão de Jesus segundo S. João.
 
2ª PARTE
Oração Universal: sequência de orações pelas necessidades da Igreja e do mundo.
 
3ª PARTE
Adoração da Cruz. Depois de conduzida, encoberta, o Abade proporciona ao povo a progressiva descoberta do seu mistério – «Eis o madeiro da Cruz!» –, ao mesmo tempo que o convida à sua adoração: – «Vinde, adoremos!». E todo o povo desfila, então, aproximando-se para beijar e adorar o que foi o preço da sua redenção.
 
4ª PARTE
Comunhão Eucarística. Comungando o Corpo de Cristo, os fiéis lembram as palavras de S. Paulo: «Sempre que comerdes deste pão […] anunciais a morte do Senhor, até que Ele venha» (1 Cor 11, 26).
 
 
Quinta-feira Santa
 
LAVA-PÉS E MISSA DA CEIA DO SENHOR
20:30 HORAS, IGREJA MATRIZ DE BOELHE
 
A anteceder a Missa da Ceia do Senhor, o Abade que preside lava os pés a doze pessoas que representam os doze Apóstolos. Assim se comemora o que fez Jesus e se actualiza a sua eloquente lição: "Antes da festa da Páscoa, sabendo Jesus que chegara a hora de passar deste mundo para o Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, levou até ao extremo este seu amor. [...] Levantou-se da mesa, depôs as vestes e tomando uma toalha pô-la à cinta. Depois de lhes lavar os pés [...], disse-lhes: ‘Compreendestes o que vos fiz? Vós chamais-me Mestre e Senhor e dizeis bem porque Eu o sou. Ora, se Eu, sendo Mestre e Senhor, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns aos outros. Dei-vos o exemplo, para que, assim como Eu fiz, vós façais também'" (Jo 13, 1-15).
Terminado este rito, segue-se a Missa da Ceia do Senhor. É uma celebração dominada pelo sentimento do amor de Cristo que, na véspera da sua Paixão, enquanto comia a Ceia com os discípulos, instituiu o Sacrifício-Sacramento da Eucaristia, como memorial da sua Morte e Ressurreição a celebrar, tornando-o sempre actual, no decurso dos tempos: "Durante a ceia, tomou o pão dizendo: - ‘Tomai e comei. Isto é o meu corpo, entregue por vós.' Do mesmo modo, tomou o cálice e, dando graças, deu-o aos discípulos dizendo: - ‘Tomai e bebei todos. Este é o cálice do meu sangue, o sangue da nova e eterna Aliança, que será derramado por vós e por todos para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de Mim'" (Lc 22, 19-20).
No final será efectuada a adoração ao Santíssimo pela Comunidade e diversos grupos paroquiais.
 
   
Domingo de Ramos
 
BÊNÇÃO DOS RAMOS, PROCISSÃO E MISSA
  
O Domingo de Ramos é o pórtico de entrada na Semana Santa. Neste dia a Igreja comemora a entrada de Jesus em Jerusalém, para consumar o seu mistério pascal. É uma entrada que prefigura e preludia a sua entrada, pela Ressurreição gloriosa, na Jerusalém Celeste. Jesus, porém, quis chegar ao triunfo passando pela Paixão e Morte. Por isso se lê, na Missa de Ramos, o evangelho da Paixão. Os fiéis são convidados a olhar para Jesus, o qual "sofreu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigamos os seus passos" (1 Pd 2, 21).
 
Bênção e Procissão dos Ramos
11:00 HORAS, LARGO DA IGREJA PAROQUIAL
 
No Largo Paroquial – Bênção dos Ramos. Inicia-se a Procissão em direcção ao interior da Igreja Matriz, percorrendo a rua envolvente.
Cinco dias antes da morte, Jesus, manso e humilde, montado num jumentinho, desce do Monte das Oliveiras em direcção a Jerusalém. O povo saiu-lhe ao encontro, atapetando o caminho com os seus mantos e com ramos de árvores. As crianças e todo o povo aplaudiam-no com entusiasmo: "Hossana ao Filho de David! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hossana nas alturas!".
A Santa Igreja recomenda: "Convidem-se os fiéis a tomar parte, no maior número possível, na solene Procissão de Ramos, dando assim público testemunho de amor e gratidão a Cristo-Rei".
 
Missa do Domingo de Ramos
11:15 HORAS, IGREJA MATRIZ DE BOELHE
 
As leituras desta Missa, sobretudo a narração da Paixão segundo S. Mateus, colocam diante da assembleia o quadro dos acontecimentos dolorosos de Jesus que irão ser comemorados ao longo da Semana Santa. Convidados a seguir os seus passos, os cristãos sabem que "se sofremos com Ele, também com Ele seremos glorificados" (Rm 8, 17).
 
   
Sábado de Ramos
 
Bênção dos Ramos, Celebração Vespertina e Festa da Catequese
16:00 HORAS, IGREJA MATRIZ DE BOELHE
  

A todos os paroquianos, votos de Santa e Feliz Páscoa.

  
publicado por a nossa terra às 07:07

pesquisar neste blog
 
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
13

14
15
16
18
20

21
23
27

28
30


links
Força Portugal!
badge
blogs SAPO