Meio de informação e divulgação, aberto à iniciativa e participação da comunidade, procurando difundir a actividade local entre 22 de Junho de 2007 a 1 de Outubro de 2013. Obrigado a todos os 75.603 leitores.

Igreja Românica S. Gens de Boelhe (M.N.)
02
Jun 11

Com base nas publicações da Direcção-Geral da Saúde, publicamos esta semana o terceiro post de um ciclo de divulgação e informação útil ao cidadão relacionado com a temática da "Saúde Ambiental". Entre os diversos temas a serem desenvolvidos, pretende-se apresentar conselhos práticos relativos com a época de Verão que se aproxima: calor, preparativos, alimentos, segurança, riscos de incêndios, cuidados com a saúde, entre outros, possibilitando acesso e ligação a outros conteúdos de informação.

 

Tema desta semana: Medicamentos e Calor

(resumo)

 

Introdução

A exposição de uma pessoa a uma temperatura exterior elevada, durante um período mais ou menos longo, sem possibilidade de recuperação, é susceptível de originar graves complicações devidas a um resposta insuficiente ou inadequada dos mecanismos de termorregulação. 

A ocorrência de temperaturas elevadas desencadeia no organismo humano mecanismos de defesa de regulação de temperatura. Em certas casos, estes mecanismos poderão ter a sua eficácia comprometida, diminuindo a capacidade de adaptação ao calor, pelo que a necessidade de vigilância é acrescida. São exemplos: crianças nos primeiros anos de vida, pessoas idosas, alguns doentes crónicos, pessoas acamadas, pessoas obesas e pessoas em tratamento com medicamentos que podem interferir na termorregulação. 

Por outro lado, a exposição dos medicamentos a temperaturas elevadas por períodos de tempo prolongados pode alterar as suas propriedades, pelo que alguns requerem precauções particulares de armazenamento e conservação. Informações sobre a utilização dos medicamentos em caso de onda de calor.

 

Questões frequentes 

A ocorrência de temperaturas elevadas durante vários dias, desencadeia no organismo humano mecanismos de defesa de regulação de temperatura. Em certas casos, estes mecanismos poderão ter a sua eficácia comprometida, diminuindo a capacidade de adaptação ao calor, pelo que a necessidade de vigilância é acrescida. São exemplos: crianças nos primeiros anos de vida, pessoas idosas, alguns doentes crónicos, pessoas acamadas, pessoas obesas e pessoas tratadas com medicamentos que podem interferir na termorregulação. 

Por outro lado, a exposição dos medicamentos a temperaturas elevadas por períodos de tempo prolongados pode alterar as suas propriedades, pelo que alguns requerem precauções particulares de armazenamento e conservação.

Salienta-se que estas perguntas e respostas apenas se referem a medicamentos, contudo, existem diversas orientações adicionais sobre a matéria, disponíveis no site da Direcção-Geral da Saúde. Esta informação é apenas uma orientação, que não dispensa o contacto com o médico ou farmacêutico.

 

Como é que os medicamentos podem interferir na reacção do organismo ao calor?
O medicamento é, por si só, um factor de risco?
Quais os medicamentos que podem apresentar risco de interferência?
O que fazer em caso de ocorrência de uma onda de calor?
O que evitar em caso de ocorrência de uma onda de calor?
Como conservar os medicamentos durante uma onda de calor?
Quando a embalagem do medicamento refere: conservar à temperatura de?
Como transportar os medicamentos em dias de muito calor?
Para saber mais...

 

Informação adicional

Informações sobre a conservação dos medicamentos em caso de onda de calor (Infarmed)  

 

Fonte: DGS

publicado por a nossa terra às 13:09


perfil

4 seguidores

pesquisar neste blog
 
Junho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

12

25

26
28
29


links
Força Portugal!
badge
blogs SAPO