Meio de informação e divulgação, aberto à iniciativa e participação da comunidade, procurando difundir a actividade local entre 22 de Junho de 2007 a 1 de Outubro de 2013. Obrigado a todos os 75.603 leitores.

Igreja Românica S. Gens de Boelhe (M.N.)
11
Jul 13

 

 

"Um Conto de Inverno"


A competição Take One, dedicada a estudantes de cinema e audiovisual, da 21ª edição do Festival de curtas-metragens de Vila do Conde contará com a participação do filme "Um Conto de Inverno". Quem não teve oportunidade de o ver no FEST (Festival Internacional Cinema Jovem), pode fazê-lo em Vila do Conde.

"Um Conto de Inverno" marcará presença na 21ª edição do Festival de curtas-metragens de Vila do Conde, integrado na competição Take One!

O festival terá lugar entre os dias 6 e 14 de Julho, no Teatro Municipal de Vila do Conde.

Um conto de Inverno é uma curta metragem desenvolvida em Janeiro de 2013 pelos alunos finalistas da Licenciatura em Cinema da Escola Superior de Teatro e Cinema, integralmente filmada na freguesia de Boelhe, tendo como cenários as Quintas da Torre e do Ordonho.

 

IV Festival de Folclore Freguesia de Boelhe

 

27 de Julho de 2013, 21h30 - Largo da Arca

Org. Associação de Danças e Cantares da Villa Bonelli

Freguesia de Boelhe

 

Majestosas Festividades em honra ao Senhor dos Remédios

 

O Rancho Folclórico de Boelhe, Associação de Danças e Cantares da Villa Bonelli, actuará amanhã, dia 12 de Julho, pelas 21,30 horas na Vila de Rio de Moinhos. Juntamente com outros ranchos convidados, esta noite de folclore encontra-se inserida na programação das majestosas festividades em honra ao Senhor dos Remédios, romaria a decorrer nesta localidade vizinha, durante o próximo fim-de-semana, à qual toda a comunidade está convidada a participar e, em clima de festa, assistir a mais uma actuação do rancho.


Partilha de vídeo de Adrm Rio De Moinhos.
publicado por a nossa terra às 08:07

 

Onda de Calor

 Informação à comunidade 

 

Tendo como documento base o "Plano de Contingência para Temperaturas Extremas Adversas 2013 - Módulo Calor" informa-se a comunidade que, de uma forma genérica, e para a prevenção dos efeitos do calor intenso, recomendam-se as seguintes medidas:

. Aumentar a ingestão de água, ou sumos de fruta natural sem adição de açúcar, mesmo sem ter sede.

. As pessoas que sofram de doença crónica, ou que estejam a fazer uma dieta com pouco sal, ou com restrição de líquidos, devem aconselhar-se com o seu médico, ou contactar a Linha Saúde 24: 808 24 24 24.

. Evitar bebidas alcoólicas e bebidas com elevados teores de açúcar.

. Os recém-nascidos, as crianças, as pessoas idosas e as pessoas doentes, podem não sentir, ou não manifestar sede, pelo que são particularmente vulneráveis - ofereça-lhes água e esteja atento e vigilante.

. Devem fazer-se refeições leves e mais frequentes. São de evitar as refeições pesadas e muito condimentadas.

. Permanecer duas a três horas por dia num ambiente fresco, ou com ar condicionado, pode evitar as consequências nefastas do calor, particularmente no caso de crianças, pessoas idosas ou pessoas com doenças crónicas. Se não dispõe de ar condicionado, visite centros comerciais, cinemas, museus ou outros locais de ambiente fresco. Evite as mudanças bruscas de temperatura. Informe-se sobre a existência de locais de "abrigo climatizados" perto de si.

. No período de maior calor tome um duche de água tépida ou fria. Evite, no entanto, mudanças bruscas de temperatura (um duche gelado, imediatamente depois de se ter apanhado muito calor, pode causar hipotermia, principalmente em pessoas idosas ou em crianças).

. Evitar a exposição direta ao sol, em especial entre as 11 e as 17 horas. Sempre que se expuser ao sol, ou andar ao ar livre, use um protetor solar com um índice de proteção elevado (igual ou superior a 30) e renove a sua aplicação sempre que estiver exposto ao sol (de 2 em 2 horas) e se estiver molhado ou se transpirou bastante. Quando regressar da praia ou piscina volte a aplicar protetor solar, principalmente nas horas de calor intenso e radiação ultravioleta elevada.

. Ao andar ao ar livre, usar roupas que evitem a exposição direta da pele ao sol, particularmente nas horas de maior incidência solar. Usar chapéu, de preferência, de abas largas e óculos que ofereçam proteção contra a radiação UVA e UVB.

. Evitar a permanência em viaturas expostas ao sol, principalmente nos períodos de maior calor, sobretudo em filas de trânsito e parques de estacionamento. Se o carro não tiver ar condicionado, não fechar completamente as janelas. Levar água suficiente ou sumos de fruta naturais sem adição de açúcar, para a viagem e, parar para os beber. Sempre que possível viajar de noite.

. Nunca deixar crianças, doentes ou pessoas idosas dentro de veículos expostos ao sol.

Sempre que possível, diminuir os esforços físicos e repousar frequentemente em locais à sombra, frescos e arejados. Evitar atividades que exijam esforço físico.

. Usar roupa larga, leve e fresca, de preferência de algodão e em conformidade com a Circular Informativa n.º 23/DA de 02/07/2009.

. Usar menos roupa na cama, sobretudo quando se tratar de bebés e de doentes acamados.

. Evitar que o calor entre dentro das habitações. Correr as persianas, ou portadas e manter o ar circulante dentro de casa. Ao entardecer, quando a temperatura no exterior for inferior àquela que se verifica no interior do edifício, provocar correntes de ar, tendo em atenção os efeitos prejudiciais desta situação.

. Não hesitar em pedir ajuda a um familiar ou a um vizinho no caso de se sentir mal com o calor.

. Informar-se periodicamente sobre o estado de saúde das pessoas isoladas, idosas, frágeis ou com dependência que vivam perto de si e ajudá-las a protegerem-se do calor.

. As pessoas idosas não devem ir à praia nos dias de grande calor. As crianças com menos de seis meses não devem ser sujeitos a exposição solar e deve evitar-se a exposição direta de crianças com menos de três anos. As radiações solares podem provocar queimaduras da pele, mesmo debaixo de um chapéu-de-sol; a água do mar e a areia da praia também refletem os raios solares e estar dentro de água não evita as queimaduras solares das zonas expostas. As queimaduras solares diminuem a capacidade da pele para arrefecer.

- Este documento foi redigido ao abrigo do Novo Acordo Ortográfico

 

Apoio à divulgação:

Junta de Freguesia de Boelhe

"A saúde e as pessoas, sempre, em primeiro lugar!"

 

publicado por a nossa terra às 08:07


perfil

4 seguidores

pesquisar neste blog
 
Julho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

14
20


28


links
Força Portugal!
badge
blogs SAPO