Meio de informação e divulgação, aberto à iniciativa e participação da comunidade, procurando difundir a actividade local entre 22 de Junho de 2007 a 1 de Outubro de 2013. Obrigado a todos os 75.603 leitores.

Igreja Românica S. Gens de Boelhe (M.N.)
23
Jul 13

 

 

Este é, seguramente, um dos lugares com mais histórias para contar - todos, ou a maior parte dos habitantes da freguesia, sentaram-se pela primeira vez nos seus bancos de escola, aprenderam os ensinamentos básicos e brincaram, horas e horas, em redor dos recreios.

Além dos estabelecimentos de ensino primário, o lugar de Bairros é sobejamente conhecido pelas suas alminhas, o antigo fontanário público, a antiga fonte da Brecha, a antiga azenha, o antigo posto do leite ou pelas casas senhoriais de Bairros e Eirô.

De notável encosta paisagística e parque habitacional, na verdade, com os tempos foi perdendo alguns dos seus símbolos patrimoniais, no entanto, o comércio restabeleceu-lhe parte dessa importância, possuindo na actualidade diversos estabelecimentos (café, talho e mercearia, frutaria e um moderno salão de cabeleireira). 

 

Panorâmica aérea sobre o Largo das Alminhas e Casa do Eirô

 

Locais e motivos de interesse patrimonial:  

. Escola Primária de Bairros n.º 1 - Boelhe; 

. Escola Primária de Bairros n.º 2 - Boelhe;

. Jardim-de-infância de Bairros - Boelhe;

. Alminhas; 

. Moinho (sito na Rua da Barrosa);

. Casa do Eirô (antiga azenha, campo do engenho e antigo posto público de recolha de leite - particular); 

. Ribeiro de Bairros; 

. Fontanário público e antiga fonte da Brecha;

. Casa de Bairros (particular); 

Trilho pedestre pela Rua da Barrosa.

 

Breve historial:

A escola primária de Bairros n.º 1 situa-se junto ao largo das Alminhas, no lugar de Bairros, freguesia de Boelhe. Foi construída no início do séc. XX, sendo por isso uma escola centenária e uma das mais antigas do concelho de Penafiel, senão das primeiras.

A escola era constituída por duas salas de aula, cada uma apetrechada por um fogão de lenha, dispunha de uma sala para professores, um recreio ao ar livre e coberto e casas de banho. Apesar de pequenina, tinha um bonito e cuidado jardim. 

 

 

Por esta escola passaram inúmeros professores, sendo carinhosamente recordados, entre outros, o Prof. Carlos Diogo, a Prof. Adélia, as professoras Ana Maria e o Prof. Manuel Dias dos Santos, além da auxiliar de acção educativa, a D.ª Fernanda “da cantina”. Ao todo, em quase 100 anos de história, foram largas centenas de alunos, repartidos pelos quatro anos de escolaridade, que aqui estudaram (crianças hoje são avós, matricularam os seus filhos e ainda tiveram a oportunidade de assistir aos primeiros estudos dos seus netos).

Esta escola foi muito importante para toda a freguesia, sendo preservada e acarinhada durante décadas pela comunidade. Encerrada pelo Município de Penafiel em 2010, desconhece-se o que foi feitos do seu espólio, talvez irrecuperável, não passando de um local de muitas memórias, sendo que a população e os responsáveis autárquicos locais anseiam por um melhor uso, mais adequado e preservado, ao dispor da sociedade civil. Desde 2011, encontra-se cedida à Associação para o Desenvolvimento de Boelhe.

 

 

EB1 de Bairros n.º 2 - Boelhe

 O parque escolar actual da freguesia de Boelhe situa-se entre os lugares de Bairros e Carvalhinhas.

A escola básica do 1º ciclo de Bairros n.º 2, tal como a conhecemos hoje, foi construída em 1983. Tem dois pisos, quatro salas de aula, uma sala de professores, uma sala de apoio, uma cantina e um polivalente de apoio. À sua volta existe um recreio, com árvores e um campo de jogos.

A necessitar de obras de conservação e beneficiação, carece de acessos a veículos de transporte de passageiros, sendo limitados os espaços para estacionamento.

 

 

Em 2001 foi construído o Jardim-de-infância, mesmo ao lado da actual escola, tendo sido inaugurado e iniciado as actividades lectivas nesse mesmo ano.

 

As lavandeiras de Bairros

Do antigo fontanário público, paredes-meias com a Escola das Alminhas, apenas restam memórias, sendo durante anos o local de encontro das cruzes, pelo compasso da Páscoa. Trabalhado em pedra de cantaria, era aproveitado para as águas que provinham de uma mina, sendo posteriormente utilizado pelas lavandeiras de roupa. Nos finais da década de 70/inícios de 80, com a deslocação do recreio e reforço da rua de acesso de Bairros para Perafita e “Lugar Novo”, os responsáveis autárquicos da época optaram pela sua destruição, sendo construídos dois novos tanques, tal como hoje ainda existem.

 

A fonte da Brecha

Se com perda do antigo fontanário, Bairros perdeu uma das suas identidades, a fonte da Brecha é outra das memórias das quais, hoje, resta apenas o local e o nome de rua. Fora ponto de água potável para muitos moradores mas, infelizmente, menosprezada ao ponto de, actualmente, ser depósito de canalizações de águas pluviais - um atentado ambiental, infelizmente consentido.


 

Casa do Eirô

As antigas instalações da azenha e do posto de leite estão associados à Casa do Eirô, edificada em 1837. Tal como as Alminhas, o lugar de Bairros bebe muito da sua essência e tradições a esta casa. Teresa Soeiro, historiadora, refere a importância outrora da nossa terra, na obra “Lagares de Azeite no concelho de Penafiel”, ligada à Casa do Eirô.

“Os casais do reguendo situados no lugar das Várzeas, freguesia de Boelhe, pagavam, segundo o foral manuelino de Penafiel, outorgado em 1519, duas canadas de azeite. Este bem circulava por estrada e também por via fluvial, entrando no concelho pelo porto de Entre-os-Rios”…

“Os lagares de azeite existiam nas grandes explorações monásticas, mas também os conhecemos, em meados do século XVIII, em muitas casas abastadas do concelho, quer em compartimentos do próprio núcleo habitacional, quer em construções especificamente erguidas e por vezes agastadas, sobretudo quando se usava a água como força motriz”.

Nas respostas ao questionário de 1758, já Passinhos dispunha, no lugar de Aldeia, de um lagar de azeite, vulgo engenho como diz o pároco, puxado por uma junta de bois.

“O lagar mecânico da Casa do Eiró, em Bairros, Boelhe, veio em 1957 substituir um engenho tradicional que a antiga padieira data de 1837. Começou também com um motor diesel que teve de abandonar em favor de outro eléctrico. O moinho de duas galgas, desmontado, foi comprado na Fundição do Rossio, em Abrantes. No mais era semelhante ao de Rio de Moinhos, embora menos aperfeiçoado já que, por exemplo os capachos, enchidos à mão, eram empilhados sem protecção lateral nem eixo central, o que levava a que desmoronasse toda a pilha durante a passagem caso não estivessem bem equilibrados. Começou por trabalhar três meses por ano, vinte e quatro horas por dia, produzindo oito pipas de azeite, das quais recebia 10% de maquia. Por 1985 abandonou a loboração porque a azeitona, mesmo indo buscá-la de trator a casa do cliente, não dava para duas semanas de funcionamento, e a mão de obra tornara-se demasiado onerosa”.

“O alvará que o proprietário deste lagar guarda, com validações dos anos vinte aos sessenta, é um exemplo deste tipo de documento, que todos possuíam, no qual se obriga a ter o recinto do lagar arrumado e limpo, nele não se podendo realizar outras actividades. Impunha também que as águas residuais fossem encaminhadas de modo a não causarem incómodo aos vizinhos nem entrarem na rede de águas públicas, Já a licença de 1957, aquando da mecanização, num tempo em que o condicionalismo da produção cedia lugar ao condicionalismo técnico, era mais exigente, impondo o emprego de um silenciador no escape, o tratamento das águas residuais, a limpeza com água e cal clorada, o fornecimento de água potável para o pessoal, o cujo cada cinco anos deveria ser vacinado contra a varíola, a afixação de letreiros proibindo fumar ou foguear, etc”.

Ler excerto obra “Lagares de Azeite no concelho de Penafiel

Resta acrescentar que no local existe o espaço onde funcionou o dito engenho - o campo próximo ostenta a denominação de "campo do engenho", encontrando-se expostas algumas das “máquinas desse tempo”.

Sem tempo para quase nada, num tempo actual repleto de ocupação, o reviver da nossa história e dos nossos antepassados, não ocupa espaço, muito menos tempo - lembra-nos como superaram desafios e lidaram com as dificuldades.

 

 

Alminhas

O monumento foi construído no séc. XIX (F. anno de 1847). Este tipo de monumentos são construídos em vários locais no sentido de se velar pelas almas.

 

Dr. Carlos de Vasconcelos

Personalidade maior inerente ao lugar, exerceu medicina sendo uns dos reputáveis profissionais no concelho, durante a segunda metade do século passado. Conferido de importância reconhecida, a senhorial Casa de Bairros acolheu o consultório privado do Dr. Carlos de Vasconcelos, sendo o próprio, durante largos anos, o único possuidor de veículo automóvel - relíquia admirada por todos os pacientes que aqui recorriam e à qual, se necessário fosse, ninguém se recusava a “dar um empurrão” para que este médico se deslocasse a quem mais necessitava. “Foi um amigo dos mais desfavorecidos”, respeitado por todos, referem os mais idosos.

Rica em inúmeras terras estimava-se que a Casa de Bairros possuísse cerca de um quinto das propriedades agrícolas e florestais da freguesia.

 

Casa Melo

A Casa Melo foi durante muitos anos o local de entreposto comercial entre muitos dos habitantes da freguesia para aquisição de bens alimentares e outros géneros, sobretudo ligados à agricultura.

No antigo armazém, ainda existente, eram depositados os carregados sacos de arroz, farinha ou açúcar que, posteriormente, eram vendidos ao “meio cartilho” ou pacotes de quilo - tempos difíceis onde “o freguês apenas podia comprar o mais essencial” pois o dinheiro era escasso.

A Casa Melo foi também um dos primeiros locais com telefone público, assegurando as mais elementares comunicações que, na época, se podia estabelecer. Actualmente, encontra-se convertida em estabelecimento de restauração.

 

Lugares próximos: 

. Reguengo

. Alto do Casal 

. Perafita

. Mó

. Mouril   

. Souto Velho

. Carvalhinhas   

 

Ruas de referência: 

Rua de Bairros Boelhe, Penafiel, Porto 4575-083 Boelhe

. Travessa de Bairros Boelhe, Penafiel, Porto 4575-083 Boelhe

Travessa de Perafita Boelhe, Penafiel, Porto 4575-083 Boelhe

. Rua Canto de Bairros Boelhe, Penafiel, Porto 4575-106 Boelhe

Rua Fonte da Brecha Boelhe, Penafiel, Porto 4575-105 Boelhe

. Rua do Meio Boelhe, Penafiel, Porto 4575-114 Boelhe

Rua Central de Bairros Boelhe, Penafiel, Porto 4575-105 Boelhe

Rua de Eiró Boelhe, Penafiel, Porto 4575-113 Boelhe 

Rua de Barrosa Boelhe, Penafiel, Porto 4575-105 Boelhe 

. Rua da Mó Boelhe, Penafiel, Porto 4575-093 Boelhe 

Rua das Escolas Boelhe, Penafiel, Porto 4575-106 Boelhe 

Rua Central de Bairros Boelhe, Penafiel, Porto 4575-105 Boelhe

 

 

 

António Carlos A.S.Ferreira

Comércio de frutas e legumes

Rua Central de Bairros - Boelhe

 

- apoio e incentivo ao comércio local, meio associativo e dinamização social/empresarial da freguesia de Boelhe

 

Gostou deste post? Ajude-nos a melhorá-lo. 

Poderá contribuir com uma breve descrição de um marco ou ponto de referência, a história do lugar, fotografias (antigas, se possível). Todos os interessados deverão para o efeito enviar os conteúdos através do e-mail anossaterraboelhe@sapo.pt

 

publicado por a nossa terra às 08:53


perfil

4 seguidores

pesquisar neste blog
 
Julho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

14
20


28


links
Força Portugal!
badge
blogs SAPO