Meio de informação e divulgação, aberto à iniciativa e participação da comunidade, procurando difundir a actividade local entre 22 de Junho de 2007 a 1 de Outubro de 2013. Obrigado a todos os 75.603 leitores.

Igreja Românica S. Gens de Boelhe (M.N.)
23
Set 12

 

O número de desempregados nos concelhos industrializados do Vale do Sousa aumentou mais de 21% desde o início do ano, mas Paços de Ferreira, com a maior subida, atingiu os 27,99%.

No conjunto dos concelhos de Paços de Ferreira, Paredes, Lousada, Penafiel e Felgueiras, que constituem a malha industrial do interior do distrito do Porto, há mais de 25.000 pessoas sem trabalho, revelam dados do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), relativos a Agosto.

 

Desemprego nos concelhos industrializados do Vale do Sousa sobe 21% desde Janeiro 

 

Segundo a mesma fonte, além de Paços de Ferreira, também Paredes, outro concelho em que predomina o polo de mobiliário, apresenta uma subida acentuada de novos desempregados, atingindo os 23,22%. Em números absolutos, Paredes é também o concelho da região com mais inscritos nos centros de emprego: 7.906 pessoas.

No conjunto dos dois municípios, que representam cerca de 80 % deste sector industrial em Portugal, o desemprego já afecta 12.941 pessoas, mais 2.591 do que em Janeiro.

Estes indicadores sustentam a ideia do presidente da Associação Empresarial de Paredes, Gualter Morgado, que, em declarações à Lusa, revelou que no seu concelho as insolvências têm aumentado todos os meses.

O dirigente recorda que a austeridade já é responsável pela quebra de 50 %, de 2011 para 2012, no volume de facturação no mercado interno. Só este ano, revelou, já fecharam mais de 50 empresas de mobiliário só em Paredes.

"São insolvências em catadupa. Umas empresas arrastam outras", sublinhou, confessando estar extremamente preocupado com a evolução dos próximos meses.

Mas o crescimento acentuado, nos últimos meses, do número de pessoas que têm ficado sem trabalho também afecta outros concelhos de Vale do Sousa, mais vocacionados para outras actividades, nomeadamente o têxtil, o calçado, a extracção de granito e os serviços.

Em Lousada, o número de inscritos subiu 23,81 % desde o início de 2012, enquanto em Penafiel o crescimento foi de 21,10 %.

Menos preocupante afigura-se a situação do concelho de Felgueiras, em que predomina o calçado, um sector que atravessa um período de crescimento. Apesar disso, neste município, o desemprego subiu neste período 5,54 %, o que deverá ter a ver, na maioria dos casos, segundo o sindicato local, com outros sectores de actividade, incluindo a construção civil.

No conjunto dos concelhos da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, a maior do país em número de habitantes, o desemprego já afecta 43.360 pessoas, mais 6.450 do que em Janeiro deste ano, traduzindo-se numa subida de 17,47%.

Na evolução do desemprego neste território, o crescimento é muito mais acentuado nos concelhos mais industrializados do Vale do Sousa do que nos vizinhos municípios do Baixo Tâmega, com uma actividade económica menos intensa.

Mas se nos números do desemprego no Tâmega e Sousa o universo de análise recuar um ano, isto é, até Agosto de 2011, o cenário é ainda mais preocupante, com o aumento médio a atingir os 25,19 %, representando mais 8.724 desempregados.

Em Penafiel, o desemprego subiu 34,33%, em Paços de Ferreira 31,84, em Paredes 29,76, em Lousada 28,58 e no Marco de Canaveses 27,52%.

Amarante, com uma forte presença da indústria metalomecânica, tem aparentemente resistido melhor, apesar do crescimento de 15,31 % e de haver quase 5.000 pessoas inscritas no centro de emprego local, grande parte das quais desempregados da construção civil.

Fonte: Lusa

publicado por a nossa terra às 11:30

pesquisar neste blog
 
Setembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
13

17

28



links
Força Portugal!
badge
blogs SAPO