Meio de informação e divulgação, aberto à iniciativa e participação da comunidade, procurando difundir a actividade local entre 22 de Junho de 2007 a 1 de Outubro de 2013. Obrigado a todos os 75.603 leitores.

Igreja Românica S. Gens de Boelhe (M.N.)
02
Jun 13

 

"O cantar, é desde que me lembro e já lá vão quase setenta e dois anos, a expressão alegre da população da freguesia!"

© Todos os direitos reservados ao Grupo de Jovens de Boelhe

 

O cantar, era o estado de alma de cada um, que parece mesmo fazer parte do quadro genético da população da nossa freguesia.

Tentarei uma explicação para o fenómeno: tenho para mim, que o facto de Boelhe se encontrar entre o monte do esporão e o rio Tâmega, composto de vinhedos e pinhais e atravessada por várias linhas de água, em cujas margens fecundam salgueiros e ramadas, nos quais os melros e outras variedades de pássaros constroem seus ninhos na Primavera e embalavam seus filhos com cânticos melódicos, encantando a sensibilidade auditiva, de todos quantos trabalhavam no campo.

O sibilar dos ventos, o marulhar das águas nas ribeiras, o riso aberto das flores dos campos, o som das águas das fontes e do rio Tâmega que reflete a beleza da paisagem, o cair das folhas acastanhadas no Outono, enfim, a natureza é a canção eterna, que a população de Boelhe, passando a vida no campo, em toda esta envolvência bucólica, que faz parte dos romances de Júlio Dinis, os cantares se entranhavam nos globos que correm nas veias das Mulheres e Homens, tornando-os exímios cantadores! Terá sido isso?...

Nas décadas de cinquenta e sessenta, quando os campos eram ainda todos cultivados e se enchiam de gente, cantava-se em grupo nos campos, nos caminhos, nos serões em casa, nas desfolhadas, e os próprios jovens que à noite se juntavam no largo das alminhas, por não haver café, nem luz elétrica, se cantava em grupo.

Nas vindimas, as raparigas em grupo, colocavam as mãos côncavas ao lado da boca, para que o som se ouvisse longe, desafiavam outros grupos do outro lado do rio Tâmega, que respondiam também! Apesar de todas as dificuldades que se experimentavam nesse tempo, a população parecia, sem dúvida, ser bem mais alegre, porquê!...

Texto da autoria do Bonelesnse João Soares in edição n.º 151 do "Villa Bonelli", jornal do Grupo de Jovens de Boelhe

 

 

- apoio e incentivo ao comércio local, meio associativo e dinamização social/empresarial da freguesia de Boelhe

 

Gostou deste post? Ajude-nos a melhorá-lo. 

Poderá contribuir com uma breve descrição de um marco ou ponto de referência, história dos lugares, fotografias. Todos os interessados deverão para o efeito enviar os conteúdos através do e-mail anossaterraboelhe@sapo.pt

publicado por a nossa terra às 10:15


perfil

4 seguidores

pesquisar neste blog
 
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
12
13
14
15

18
19
20

23
26
28
29

30


links
Força Portugal!
badge
blogs SAPO