Meio de informação e divulgação, aberto à iniciativa e participação da comunidade, procurando difundir a actividade local entre 22 de Junho de 2007 a 1 de Outubro de 2013. Obrigado a todos os 75.603 leitores.

23
Ago 13

 

Bem-vindos a Boelhe.


A Freguesia de Boelhe convida toda a população, comunidades circunvizinhas, emigrantes e amigos da região, bem como todos quanto visitam a nossa terra por ocasião das Festas Maiores ao padroeiro S. Gens e a N.ª Sr.ª do Rosário, a participar nas festividades paroquiais, eventos religiosos, culturais e espectáculos organizados pela comissão de festas. Desfrute igualmente da gastronomia local, das tradicionais barraquinhas espalhadas pela avenida, da doçaria e do convívio.
Em festa e em comunidade, participe, (com)viva Boelhe!

 

 

23 de Agosto de 2013

 Solenidades Religiosas  

20,30 horas - Eucarístia na Igreja Matriz de S. Gens de Boelhe

21,30 horas - Procissão de Velas em honra a N.ª Sr.ª do Rosário

 

24 de Agosto de 2013

20 horas - Eucarístia em honra a N.ª Sr.ª do Rosário na Igreja Matriz de S. Gens de Boelhe

 

O Rosário, Instrumento de Salvação.

A oração do Santo Rosário surge aproximadamente no ano 800 à sombra dos mosteiros, como Saltério dos leigos. Dado que os monges rezavam os salmos (150), os leigos, que em sua maioria não sabiam ler, aprenderam a rezar 150 Pai Nossos. Com o passar do tempo, se formaram outros três saltérios com 150 Ave Marias, 150 louvores em honra a Jesus e 150 louvores em honra a Maria.

Posteriormente fez-se uma combinação dos quatro saltérios, dividindo as 150 Ave Marias em 15 dezenas e colocando um Pai Nosso no início de cada uma delas. Em 1500 ficou estabelecido, para cada dezena a meditação de um episódio da vida de Jesus ou Maria, e assim surgiu o Rosário de quinze mistérios.

“Rosa das rosas, Rainha das rainhas”, a palavra Rosário vem do latim Rosarium, que significa “Coroa de Rosas”.

+ info. in “O Poder do Santo Rosário

 

Curiosidade

Sabia que na nossa paróquia, a festividade à Sr.ª do Rosário decorreu durante décadas nos primeiros dias de Outubro? Assim aconteceu até que se juntou, no século passado, a sua veneração à festividade maior ao padroeiro S. Gens.

 

publicado por a nossa terra às 12:00

  

 

Ano da Fundação: 2012

Região Etnográfica: Douro Litoral.

Danças Tradicionais: Malhão, Cana Verde, Vira e Verdegar.

Trajes: Domingueiro, Ir à Missa, Tradicional e Trabalho.

Tocata: Acordeão, Concertina, Violão, Violas, Tambor e Ferrinhos.

Representações Nacionais: Norte e Centro de Portugal.

 

Historial

O Rancho Folclórico de Boelhe teve a sua origem na década de 70, do século passado, derivado do já extinto Grupo Folclórico de Boelhe. Por diversos anos foram goradas as tentativas de formação do grupo, sendo que, decorria o ano de 2004, e por ocasião das festividades maiores ao padroeiro S. Gens e N.ª Sr.ª do Rosário, um grupo de habitantes recuperou algumas das suas danças tradicionais, levando a efeito um pequeno cortejo para a angariação de fundos para as obras da residência paroquial.

Dado este passo inicial, em 2008, e novamente por intermédio da comissão de festas a S. Gens e N.ª Sr.ª do Rosário, é levado a efeito uma actuação por habitantes da freguesia nestas festividades e mostrada a antiga bandeira do Grupo Folclórico de Boelhe, uma das recordações bem presentes na população.

Inerente à mudança do paradigma cultural na freguesia, em 2009 a recém-empossada direcção da Associação para o Desenvolvimento de Boelhe une esforços na salvaguarda das tradições locais e, convidando muito dos antigos elementos e familiares do extinto Grupo Folclórico de Boelhe, contribui para a formação do Rancho Folclórico da Associação para o Desenvolvimento de Boelhe.

Após o investimento na aquisição dos trajes, o grupo realiza em 2009 a sua primeira actuação perante a população da freguesia de Boelhe, tendo sido apadrinhado pelos grupos folclóricos do Centro Social de Rio de Moinhos e de Abragão.

Em 2010, tendo a Residência Paroquial como local de ensaios, organiza o 1º Festival de Folclore da Freguesia de Boelhe, um marco cultural que vem concretizando todos os anos, convidando para o efeito grupos de várias regiões etnográficas de Portugal. Para além de actuações na semana cultural de Boelhe, o rancho folclórico iniciou as saídas para animação em festividades noutras terras, pelo concelho de Penafiel, sendo presença regular nas feiras de S. Martinho e Agrival.

Tendo como fundadores Zeferino Sousa e Joaquim Coelho é fundada em 2012 a Associação de Danças e Cantares da Villa Bonelli. O rancho folclórico adquire então personalidade jurídica e associativa. A marca “Rancho Folclórico de Boelhe”, apesar de extinto, por inerência legal pertence ao Grupo Folclórico de Boelhe, passando a denominar-se “Rancho Folclórico da Associação de Danças e Cantares da Villa Bonelli - Freguesia de Boelhe”.

Transferindo os ensaios para as antigas instalações do Centro Cultural, Recreativo e Desportivo de Boelhe, gerindo os apoios e recursos próprios, o rancho folclórico tem tido nestes dois últimos anos, sobretudo nos meses de Junho a Setembro, inúmeras actuações e sido frequentemente convidado a participar em festividades, romarias e festivais de folclore pelo norte e centro de Portugal.

 

 

Nasceu, cresceu e vive há 40 anos

 

O rancho folclórico vive para a comunidade. Onde quer que o rancho vá actuar manifesta-se ao vivo o cantar e as danças da nossa região, apresentando-se da freguesia de Boelhe, concelho de Penafiel, desenvolvendo a sua acção para bem da cultura e assim dar a conhecer melhor os usos e costumes da nossa terra, as suas tradições, com amor fraterno e solidariedade. 

Não obstante o grupo folclórico ter-se encontrado inactivo durante muito tempo, numa zona essencialmente rural, os seus componentes não esmoreceram, tendo sido desenvolvido nos últimos anos um trabalho idóneo que lhe permitiu um conhecimento mais amplo e profundo os usos e costumes de Boelhe e das suas gentes, nos finais do século XIX e princípios do século XX.

Actualmente, o rancho folclórico é um harmonioso conjunto de homens, mulheres e jovens que envergam trajes que eram usados em solenidades religiosas, em romarias e no trabalho diário; uns mais ricos do que outros mas todos eles espelham o inegável gosto e brio das gentes de Boelhe. A mulher que cozia o pão, transportando a escudela; a leiteira com os canados; a mulher que à soleira da porta fiava o linho, com a roca e o fuso; o homem da palhoça e a alegre e vistosa romeira, são algumas das figuras que em tempos idos se viam em terras de Villa Bonelli e que são agora saudosamente recordados. 

Também as danças e os cantares são objecto de divulgação, sendo relevante o interesse que tem despertado junto dos jovens e da Freguesia, pois muito se dançava e cantava na nossa terra. Os viras, a cana verde, o malhão e o verdegar, entre muitas outras; sem esquecer as melodiosas e dolentes cantigas que ecoavam nas noites luarentas em tempo de desfolhadas e os alegres, por vezes brejeiros, cantares ao desafio, sempre do agrado de quem cantava e de quem ouvia.

Preservar e enriquecer o nosso Património Cultural, raízes inspiradas em tradições, cultos e costumes populares é o lema deste brioso Grupo Folclórico.

 

 

Noite de folclore, a partir das 22,30 horas, no Largo da Arca 

Conheça melhor os grupos folclóricos presentes nas festividades a S. Gens de Boelhe:

. Rancho Folclórico de Boelhe | YouTube

. Rancho Folclórico São João de Alpendorada

. Rancho Folclórico de Sermonde (V.N. Gaia) | Facebook 

Organização: Comissão de Festas a S. Gens e N.ª Sr.ª do Rosário

| Associação de Danças e Cantares da Villa Bonelli

 

publicado por a nossa terra às 08:30


perfil

4 seguidores

pesquisar neste blog
 
Agosto 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
12
13
16
17


28


links
Força Portugal!
badge
blogs SAPO